ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica)

Esclerose lateral Amiotrófica, mais conhecida como ELA, é uma doença degenerativa, que leva a destruição dos neurônios responsáveis pelos movimentos voluntário do corpo como: braços, pernas e rosto. É uma doença rara que atinge mundialmente 0,02% da população e que hoje faz parte da classificação de doenças chamadas neurônio de motor (é a condição rara do sistema nervoso que conduz à perda de controle do músculo, causando fraqueza e de forma progressiva).

Por ser uma doença progressiva e por não ter cura, cujo a expectativa de vida do portador, é em média de 3 a 5 anos de vida, sendo a principal causa de morte por doenças respiratórias, uma vez que a paralisia dos músculos atingem principalmente o sistema respiratório.

Apesar da ELA ser incurável, existem sintomas que podem ser tratados, diminuindo as dores e aumentando a expectativa de sobrevivência do paciente além de melhorar sua qualidade de vida, os sentidos visão, paladar, audição e tato não são atingidos, raramente afeta no funcionamento da bexiga, intestino e no funcionamento do pensamento e raciocínio do paciente.

Os principais sintomas da ELA são:

  • Dificuldade de respirar;
  • Engasgar com facilidade;
  • Perda de peso;
  • Alterações na voz (rouquidão)
  • Cãibras musculares;
  • Contrações musculares;
  • Paralisia e;
  • Problemas com dicção;

Ter um membro na família que tenha a doença de forma hereditária, pode ser um indício de um fator de risco, fora isso, não existe fatores de risco conhecido para a ELA. Identificada através de exames imunológicos, histórico familiar ou mesmo através de exames de rotina.

O exame realizado para afastar o diagnóstico é feito através da Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética, juntos esses exames realizados na coluna cervical e na cabeça, garantem com mais precisão que não existam outras doenças semelhantes à doença e que possuem os mesmo sintomas.

A realização do exame da Tomografia neste caso, é de grande importância, pois, visa verificar a gravidade da doença ou mesmo afastar o diagnóstico de uma vez que temos doenças com sintomas parecidos dentre elas, doenças ligadas à medula espinhal, mononeuropatias e diversas síndromes neurológicas além de ser um exame moderno e acessível para o paciente.

Por esse motivo, consulte regularmente o médico Neurologista e associando aos exames de Tomografia computadorizada, ajudam identificar possíveis doenças neurológicas que possa excluir o diagnóstico da ELA. Consulte um médico e agende seus exames para checkup.

Compartilhe

Facebook
WhatsApp
Telegram

Outros artigos